entre em contato e tire suas dúvidas

Fones: 61 3361-4958 / 61 9628-0837 / 9976-7513

Individualização do consumo de água

Individualização do consumo de água em condomínios verticais, com duas opções de projeto:

Serv-Individualizacao-Imagem1

- Projeto em que o Condomínio faz a leitura dos hidrômetros e a cobrança de água de cada condômino (junto da taxa condominial) e o condomínio continua recebendo da CASEB uma conta única geral do bloco. Projeto com Automação

- Projeto em que a CAESB faz a leitura dos hidrômetros e a cobrança de água direto de cada condômino. Projeto Convencional

 

Vantagens da medição individualizada

O objetivo da medição individualizada de água em apartamentos é promover justiça na cobrança das contas de água/esgotos, já que cada condômino paga pelo seu consumo.

  • Reduz o consumo de energia elétrica já que o volume bombeado também é reduzido;
  • Reduz o índice de inadimplência;
  • Reduz o desperdício de água e conseqüentemente as contas;
  • Os clientes ficam muito mais satisfeitos, pois cada condômino paga pelo seu consumo;
  • Reduz o volume efluente de esgotos com benefícios ecológicos/econômicos;
  • Os vazamentos de difícil percepção são identificados mais rapidamente.

Desvantagens da medição Global da água

  • A conta do edifício é rateada com todos os apartamentos, não importando o consumo real de cada um;
  • Não permite que os clientes sejam cobrados pelo que consumiram;
  • Os clientes que economizam pagam pelos que esbanjam água;
  • Os bons pagadores respondem pelos maus pagadores;
  • Quando alguns apartamentos não pagam a conta, a ligação pode ser cortada, não importando se a maior parte dos clientes tenha pago em dia.

VANTAGENS DA MEDIÇÃO INDIVIDUALIZADA CONVENCIONAL

  • Para edifícios de apartamentos que possuem locais para a passagem de colunas individuais como: poços, paredes dobradas, “bonecas” para passagem de tubos ou shafts.
  • Instalações Hidráulicas e hidrômetros de menor custo comparativamente ao sistema com automação.
  • No caso daquele condômino inadimplente (que não paga a taxa condominial e por consequência a sua água), nesse sistema a Concessionária corta o fornecimento de água, enquanto no sistema com automação o Condomínio não tem o poder de cortar a água desse inadimplente.
  • O Condomínio (ou o síndico) se desobriga quanto à serviços de leitura dos hidrômetros (ou o pagamento mensal para uma empresa o fazer), cobrança dessa água do condômino, desenvolvimento de campanhas de conscientização dos condôminos contra desperdícios e vazamentos nas unidades / apartamentos.
  • O Condomínio não fica refém do perfeito funcionamento de um programa (software) ou do perfeito trabalho de uma empresa, para executar a leitura e cobrança da água individual de cada unidade.

Vantagens da medição individualizada com automação

revitalizacao02

  • Para edifícios de apartamentos que não possuem locais para a passagem de colunas individuais como: poços ou shafts.
  • Redução do investimento em obras civis, pois viabiliza a instalação dos hidrômetros próximos dos pontos de consumo, em locais de difícil acesso para visitação de leiturista;
  • Possibilidade de instalação de hidrômetros dentro das unidades consumidoras, pois dispensa a entrada do leiturista;
  • Emissão de relatórios de consumo por hidrômetro, apartamento, prumada e edifício;
  • Permite o acompanhamento do consumo de pontos específicos de consumo, tais como área de serviço, banheiros etc;
  • Relatórios de evolução do consumo no tempo, permitindo a detecção de variações no consumo histórico de cada unidade, para fins de detecção de vazamentos e de ausência de consumo;
  • Detecção automática de fraudes em hidrômetros.


RESOLUÇÃO da ADASA Nº 15 , DE 10 DE NOVEMBRO DE 2011.

CAPÍTULO I
DO OBJETO
Art. 1º. Estabelecer os procedimentos e condições gerais para a instalação de hidrômetros individualizados para cada unidade nos condomínios verticais residenciais e de uso misto localizados no Distrito Federal, conforme Lei n° 3.557, de 18 de janeiro de 2005, alterada pela Lei n.º 4.383, de 28 de julho de 2009.
Art. 2º. As definições dos termos que aparecem em negrito nesta Resolução constam do Anexo I.

CAPÍTULO II
DA INSTALAÇÃO INDIVIDUALIZADA DOS HIDRÔMETROS

Art. 3º. É obrigatória a instalação de hidrômetros individualizados nas unidades dos condomínios verticais residenciais e de uso misto do Distrito Federal.
§ 1º Os condomínios verticais residenciais e de uso misto já existentes terão prazo até 19 de janeiro de 2015 para implantar a hidrometração individualizada, nos termos do art. 6º da Lei nº 3.557, de 18 de janeiro de 2005.
§ 2º Consideram-se já existentes os condomínios verticais residenciais e de uso misto que resultarem de projetos de arquitetura protocolados até o dia 22 de agosto de 2006 nas Unidades Administrativas do Distrito Federal, objetivando a aprovação ou visto de projeto de arquitetura.
§ 3º Mediante comunicação à ADASA, fica o condomínio já existente nos termos do parágrafo anterior, desobrigado de realizar instalação de hidrômetro individualizado de que trata esta Resolução, desde que haja decisão nesse sentido tomada em assembleia extraordinária específica pelo voto favorável da maioria simples dos condôminos proprietários ou promitentes compradores do imóvel, devidamente registrada em ata.
Art. 4º. Os projetos de novos condomínios verticais residenciais e de uso misto devem prever instalações hidráulicas que permitam a medição individual do consumo de água de cada uma de suas unidades.
Art. 5º. É de responsabilidade do condomínio ou do empreendedor o projeto da instalação hidráulica predial considerando as perdas de carga nos hidrômetros de modo a assegurar o seu correto funcionamento, inclusive quanto às pressões máximas e mínimas, velocidades máximas, emissão de ruídos e vazões mínimas nas peças de utilização, bem como pela adequada especificação dos componentes e materiais.
Art. 6º. Todas as despesas decorrentes da aquisição e instalação dos hidrômetros individualizados correrão por conta do condomínio ou do empreendedor.
Art. 7º. Em cada edificação deve ser instalado, para cada categoria de consumo, um hidrômetro geral pelo prestador de serviços e, pelo condomínio ou pelo empreendedor, um ou dois hidrômetros para cada unidade e pelo menos um hidrômetro para medir o consumo das áreas comuns.

§ 1º A instalação de um segundo hidrômetro para uma mesma unidade só ocorrerá nos casos onde houver instalação de aquecimento centralizado de água, sendo o segundo hidrômetro necessariamente destinado a medir o consumo de água quente.

§ 2º Ficam dispensados da obrigação de instalar hidrômetros para medir o consumo das áreas comuns os condomínios que já implementaram a hidrometração individualizada ou cujos projetos forem protocolados nas Unidades Administrativas do Distrito Federal, objetivando a aprovação ou visto de projeto de arquitetura, antes da vigência desta Resolução.
Art. 8º. Todos os hidrômetros, inclusive o geral, deverão ser instalados em local que possibilite a sua fácil leitura pelo prestador de serviços e pelos usuários, preferencialmente em áreas comuns de circulação, sendo vedada a instalação em forros, sótãos ou em locais que acarretem risco a quem for proceder leitura, substituição ou manutenção, observados os termos da Nota Técnica específica do prestador de serviço de que trata o art. 11.

§1º Os hidrômetros a serem instalados deverão ser de classe metrológica B ou C conforme Regulamento Técnico Metrológico do INMETRO.
2º Os hidrômetros deverão ter os respectivos modelos certificados e submetidos individualmente aos ensaios de estanqueidade e de determinação dos erros de indicação (verificação) antes de serem instalados conforme Regulamento Técnico Metrológico do INMETRO.
§3º Cada hidrômetro instalado deverá permitir a identificação da respectiva unidade.
§4º É vedada a instalação de quaisquer dispositivos na tubulação que precede o hidrômetro instalado ou que interfira no funcionamento do mesmo.